2 de abril de 2018

Cão preguiçoso

Ali para os lados da Serra da Estrela, perto de Seia, descobrimos este canito.


Os carros iam parando e seguindo viagem e ele impávido e sereno, na sua sesta, no seu descanso. Quando estávamos quase, quase a partir, decidiu mudar de lugar e ficar perto do nosso carro.
O Afonso, aquele coração doce, pensou que ele estava abandonado. Expliquei que não. Mas ele não ficou convencido. Achou que o cão tinha fome. Após muita insistência, cedi em lhe dar uma sandes. 
O cão já se tinha deitado, todo esticado, ao lado do nosso carro.
Não conhecendo o animal, coloquei a sandes próxima das suas patas dianteiras. Ele não se levantou, arrastou-se um pouco, até chegar com a ponta do focinho à sandes. Comeu-a, deitado, sem grande esforço, nem intenções de se mexer muito...

Sem comentários:

Enviar um comentário