29 de março de 2018

Páscoa

Para mim a Páscoa mais não é que um fim-de-semana mais longo. As tradições pascais do norte nunca as consegui assimilar, nem fazer delas também minhas tradições. 
Em pequena (muito pequena) ainda se abria a porta ao padre, mas depois o padre deixou de passar ao domingo e tudo terminou...
A Páscoa passou a ser sinónimo de praia. Se o tempo assim o permitisse, o dia de Páscoa era o primeiro dia de praia do ano.
Na Sexta-feira Santa já se ia à praia, mas com o objetivo de apanhar marisco, consoante a maré o permitisse. 
Foi numa Sexta-Feira Santa que apanhámos uma intoxicação alimentar. O mexilhão, apanhado com muito cuidado (só o que estava dentro de água), que nos pôs todos doentes. Abandonámos esta tradição. De qualquer forma nunca me esqueci daquele dia maravilhoso na praia, na praia do Vale Furado.


É nesta altura do ano que começo a ter necessidade de ver o mar...

Sem comentários:

Enviar um comentário